Mioma uterino: sintomas, diagnóstico e tratamento

Avaliação de composição corporal: médico examina paciente com estetoscópio.
Avaliação de composição corporal: densitometria óssea x IMC
17 de fevereiro de 2021
Endometriose: médica aperta as mãos de paciente.
Endometriose: sintomas, diagnóstico e tratamento
3 de março de 2021

Mioma uterino: sintomas, diagnóstico e tratamento

Mioma uterino: médico segura mão de paciente.

O mioma uterino é um tipo de tumor benigno que afeta mulheres especialmente em idade reprodutiva. Por isso, conhecer sobre ele é fundamental para toda mulher, já que é um assunto que assusta e causa dúvidas, principalmente, quando o diagnóstico é repentino.

Além disso, elel é um problema comum, que afeta geralmente mulheres em idade fértil, podendo acarretar diversos sintomas ou até mesmo, em alguns casos, ser assintomático.

Embora seja um tipo de tumor, o mioma uterino geralmente não está relacionado a um risco maior de câncer e, muitas vezes, acompanham as mulheres durante toda a vida. Entretanto, exige atenção e tratamentos específicos quando compromete seriamente a saúde de uma pessoa.

Se você deseja entender melhor sobre o assunto e saber como cuidar da sua saúde, está no lugar certo! Confira neste post o que é o mioma uterino, seus sintomas, como é feito o diagnóstico e os possíveis tratamentos!

O que é o mioma uterino?

Também conhecido como fibróide uterino, o mioma é um tumor benigno que se desenvolve no miométrio — tecido muscular  presente no útero. Pode acontecer tanto do lado interno do útero quanto do lado externo, e sua localização será muito importante, pois algumas são mais relacionadas ao surgimento de sintomas.

O mioma se forma quando uma célula começa a crescer de forma descontrolada, em alguns casos mais rápido, outros mais lentos ou pode permanecer do mesmo tamanho. Não há uma causa específica para o mioma uterino, no entanto, pode estar relacionado com questões hormonais e genéticas.

Alguns fatores de risco podem elevar as possibilidades de ter mioma, como:

  • genética;
  • início da menstruação em idade precoce;
  • alimentação desequilibrada, com maior ingestão de carnes vermelhas do que vegetais;
  • consumo excessivo de bebidas alcoólicas.

Apesar de provocar preocupação, o mioma uterino geralmente não traz maiores complicações, pois é considerado um tumor benigno. Pode surgir em  várias localizações, como o subseroso (para fora do útero), submucoso (para dentro do útero) e intramural (no meio do útero).

Esses nódulos benignos afetam mulheres em idade fértil, ou seja, entre a primeira menstruação até a menopausa é um problema muito comum, que atinge cerca de 80% das mulheres em idade reprodutiva.

Quais são os sintomas?

Em alguns casos o mioma é assintomático e silencioso, ou seja, a mulher pode não sentir nenhum sinal ou alteração no organismo. Nessas situações, o mioma é detectado apenas em exames (geralmente de ultrassom, no check up). 

É importante ressaltar que os sintomas também dependem do tipo, estágio do mioma uterino e características de cada organismo. Inclusive, o local onde o mioma cresce pode afetar o funcionamento de outros órgãos.

De modo geral, os sintomas dependem do tamanho e da localização do mioma, sendo comum os seguintes sintomas::

  • dificuldade de esvaziar a bexiga ou micção frequente;
  • dor e sensação de pressão na região pélvica;
  • períodos menstruais prolongados, com mais de sete dias;
  • presença de tumorações na região abdominal ou pélvica;
  • sangramento menstrual intenso e de grande volume;
  • sangramentos anormais e com coágulos.

Os sintomas do mioma uterino podem acontecer isolados, ou surgir em mais de um sinal. Em casos considerados raros, o mioma pode causar alterações físicas visíveis na parte externa do corpo, o que é muito difícil de ocorrer.

Como é feito o diagnóstico?

Em exames ginecológicos de rotina, o médico pode notar a presença do mioma uterino, mesmo sem a paciente apresentar algum sintoma. No entanto, para ter o diagnóstico preciso é preciso realizar exames específicos.

Quando o ginecologista sente alguma irregularidade, ele pode solicitar exames laboratoriais, como hemograma e urina. Isso acontece para investigar melhor as propriedades do sangramento.

Entretanto, para ter informações precisas sobre os tecidos internos, inclusive referente às dimensões do nódulo, os exames de imagem são indispensáveis. Apenas com informações precisas, é possível determinar o diagnóstico.

Veja quais os exames de imagem mais utilizados pela medicina.

Ultrassonografia transvaginal

É um exame que avalia o útero e os ovários. O exame é realizado através de pequeno aparelho introduzido na vagina, que emite ondas de som que são convertidas pelo computador em imagens.

Com o resultado é possível identificar diferentes problemas na região pélvica, inclusive o mioma uterino. O exame é indolor e não utiliza radiação, geralmente é o primeiro exame solicitado pelos ginecologistas.

Ressonância magnética

Em alguns casos, o exame de ressonância magnética pode trazer informações adicionais à ultrassonografia. Oferece imagens de alta precisão, caracterizando todos os nódulos uterinos em relação à localização, características e dimensões.

A ressonância magnética é um exame que permite uma avaliação mais precisa dos miomas, com avaliação tecidual e identificando miomas degenerados. Além disso, também permite a avaliação global da pelve.

Quais os tratamentos para o mioma uterino?

Existem diversas formas de tratamento do mioma uterino e a situação da paciente e os sintomas que ela apresenta são essenciais para identificar a melhor alternativa. Geralmente, os tratamentos são prescritos quando há manifestação de algum sintoma.

Muitas mulheres descobrem o mioma por acaso não têm nenhum incômodo, apenas sinais leves. Nesse caso, é aconselhável o acompanhamento médico frequente e não é necessariamente preciso usar medicamentos ou fazer cirurgias.

Em quadros onde a paciente apresenta sintomas, são diversos os possíveis tratamentos, que serão individualizados após consulta com o ginecologista.

Além do tratamento por medicações, existem também procedimentos cirúrgicos minimamente invasivos, como a embolização da artéria uterina e a miomectomia.

Quando o quadro é mais grave e os sintomas comprometem a qualidade de vida e a execução das atividades diárias da mulher mesmo após os tratamentos iniciais, é indicado a realização da cirurgia de mioma, para remoção dos tecidos afetados.

O diagnóstico precoce é fundamental!

Apesar de não ser uma doença grave, o mioma uterino provoca sintomas desagradáveis, que colocam em risco o bem-estar e a qualidade de vida. É um problema que merece atenção especial, para evitar maiores complicações.

Nesse sentido, o mioma pode representar um risco silencioso, que começa sem nenhum sintoma e com o tempo vai se agravando. Assim, quando toma maiores proporções causa problemas que vão prejudicar o organismo, levando a sérios desconfortos.

Por esse motivo, o diagnóstico precoce é fundamental para garantir um tratamento rápido e eficiente, além de elevar as possibilidades de sucesso. Quanto mais rápido identificar o problema, os sintomas serão eliminados no menor tempo possível.

Por isso, é essencial manter consultas regulares ao ginecologista, mesmo não apresentando nenhum sintoma do mioma uterino. Nas consultas periódicas o médico faz uma avaliação preventiva geral, analisando todos os indicadores para certificar que tudo está correto.

Além disso, o ginecologista solicita exames de rotina e avalia se é necessário um check-up completo, ideal para proporcionar a tranquilidade e agir prontamente se algo estiver exigindo atenção.

Ou seja, investir na prevenção é indispensável para sua saúde, principalmente se tratando do mioma uterino, que se identificado nas fases iniciais, pode ser tratado com sucesso, evitando que os sintomas se agravem.

Como você percebeu no contexto desse artigo, o mioma uterino é um problema que exige atenção, mesmo sendo considerado um tumor benigno. Portanto, é essencial manter consultas médicas regulares e manter hábitos saudáveis, assim, você contribui para estar sempre saudável e bem disposta.

Gostou do post? Estar bem informada é fundamental para preservar a sua saúde e bem-estar, e se deseja ver conteúdos relevantes sempre que quiser, siga a clínica SCOPPETTA nas redes sociais! Estamos no Facebook e Instagram!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

× Podemos ajudar?