Exames que utilizam raio-x fazem mal? Confira mitos e verdades sobre eles!

Tipos de ultrassonografia: médicos avaliam exama de imagem.
Tipos de ultrassonografia: entenda as diferenças entre eles
17 de março de 2021
Tomografia de tórax: médico negro observa o exame.
Covid-19: como a tomografia de tórax pode ajudar na avaliação de pacientes contaminados?
16 de abril de 2021

Exames que utilizam raio-x fazem mal? Confira mitos e verdades sobre eles!

Exames de raio-x: médico observa exame de imagem de paciente.

A doctor with a patient's x-ray film

É muito provável que você já tenha escutado alguém dizer que exames de raio-x (como a tomografia computadorizada, por exemplo) são perigosos e podem causar diversos problemas de saúde, incluindo câncer, certo? Contudo, você sabe até onde informações como essas são verdadeiras e quando elas não passam de mitos?

No dia a dia, é comum que as pessoas tenham curiosidade sobre o assunto, especialmente pela utilização de raios-x para a realização de exames médicos. Por se tratar de uma ferramenta muito utilizada e indicada para ajudar em diagnósticos, realização de procedimentos e acompanhar tratamentos, o exame de raio-x gera na sociedade algumas dúvidas a seu respeito.

Para entender a importância deste exame no exercício da medicina, sua indicação, e saber o que é mito e o que é verdade sobre os raios-x, desenvolvemos o artigo de hoje. Continue a leitura conosco para se informar sobre este assunto!

O que é exame de raio-x?

Também conhecido por radiografia, o exame de raio-x é um exame de imagem não invasivo, realizado por meio do uso de radiação ionizante em pequenas doses para identificar, de forma rápida, alguns problemas específicos, como na avaliação dos pulmões e ossos. 

Com este procedimento, o médico pode investigar doenças e confirmar ou descartar suspeitas clínicas, como tumores, fraturas e outras condições relacionadas à saúde do paciente. Por ser um exame de baixo valor, rápido e muito útil, o exame de raio-x é muito usado, principalmente, em setores de emergência e terapia intensiva.

Para que o exame serve?

Entre as principais indicações, o exame de raio-x ajuda na avaliação dos pulmões (para diagnóstico e acompanhamento de pneumonias, por exemplo), na visualização de fraturas e tumores ósseos, e também na avaliação de alterações na região abdominal.

Quando o exame de raio-x é indicado?

A indicação para o exame de raio-x é bastante variável. Isso porque o teste é feito como uma forma inicial de identificar alguma alteração no corpo, algumas vezes com necessidade de prosseguir a investigação com outros exames mais sensíveis e específicos. As principais indicações para o exame de raio-x, são:

  • fraturas ósseas;
  • artrite;
  • cânceres em ossos;
  • infecções ou doenças pulmonares;
  • câncer de mama (a mamografia é um tipo especial de raio-x);
  • avaliação de sinusite.

Mitos e verdades do raio-x

Por fazer o uso da radiação ionizante em seu procedimento, os exames de raio-x e tomografia computadorizada  são alvos de muita desinformação, motivo que gera medo e resistência por meio da população para realizá-lo. A seguir, vamos desvendar os principais mitos sobre o exame, apresentando informações verdadeiras sobre o raio-x.

Existe um limite de radiação que uma pessoa pode receber

Sim. Anualmente, uma pessoa pode receber um certo limite de radiação, que é medido em milisievert. Exames de tomografias utilizam mais radiação que exames de radiografias. Devemos nos lembrar que todos nós somos expostos a fontes naturais de radiações diariamente. 

Exames de raio-x fazem mal e só podem ser feitos uma vez ao ano

Mito. O nível de radiação emitido durante o exame de raio-x é muito pequeno. Os exames de tomografia computadorizada utilizam doses maiores, mas cada vez mais pequenas pelo avanço da tecnologia. Embora utilizem doses pequenas, é sempre importante realizar os exames apenas em casos de indicações clínicas precisas.

Mesmo após desligada, a máquina continua a emitir radiação

Mito. Após o desligamento do aparelho, a emissão de radiação é completamente interrompida, evitando danos ao paciente e aos profissionais.

Gestantes devem evitar exames de raio-x

Verdade. A recomendação para que mulheres grávidas evitem o exame é para proteger o bebê da exposição à radiação. Antes de nascer, bebês com maior exposição podem elevar suas chances de má formação.

Em alguns casos específicos, os exames podem ser essenciais para a definição de diagnóstico e conduta. Em algumas situações, a região do útero poderá estar protegida com um revestimento externo de chumbo. 

O exame é mais seguro no último trimestre da gestação e deve ser mais evitado no início da gravidez.

Quem trabalha com exames de raio-x pode desenvolver câncer

Mito. Atualmente, os equipamentos utilizados pelos profissionais que atuam no setor de Radiologia emitem doses menores de radiação e há controle rígido de exposição através de dosímetros.

O exame de raio-x fica pronto na hora

Verdade. No passado, o exame de raio-x era realizado em chapas, tendo a necessidade de passá-las por um processo de revelação química para que a imagem pudesse ser visualizada. 

Entretanto, com o avanço da medicina, a maioria das clínicas e hospitais realizam radiografia do tipo digital, que são geradas no computador em apenas alguns segundos.

Contudo, será necessário um tempo adicional para o médico realizar o laudo e as imagens impressas. 

Quem tem marcapasso e pinos metálicos não pode realizar raio-x

Mito. O equipamento usado para o exame de raio-x não produz qualquer tipo de radiação eletromagnética. Por esse motivo, não apresenta risco de danificar aparelhos como marcapasso ou estruturas metálicas que podem estar presentes no organismo do paciente.

A única diferença é que, durante o exame, o marcapasso e os pinos ou placas metálicas, poderão ser visualizados como uma imagem branca na imagem do raio-x, visto que impedem a passagem da radiação e a queima do filme naquela região. Por gerar artefato, podem prejudicar na avaliação médica das estruturas adjacentes. 

Exames de raio-x só são feitos para ver ossos

Mito. Os exames de raio-x não não são idealispara visualizar órgãos compostos por tecido mole, como o coração e fígado, ou mesmo órgãos que estão completamente protegidos por estruturas ósseas, como por exemplo, o cérebro.

No entanto, apesar de tais limitações, o exame simples pode ver mais do que apenas as estruturas ósseas do corpo, sendo essencial para o diagnóstico de diferentes doenças dos pulmões, mamas, e intestinos. Quando o exame de raio-x é associado ao uso de contraste, é possível ainda avaliar outras estruturas ocas, como estômago, esôfago, duodeno e útero.

No post de hoje você pôde entender como é feito o exame de raio-x, a importância deste teste para diagnósticos, acompanhamento de tratamentos e prevenção de doenças, e conferiu as principais verdades e mitos que as pessoas acabam repetindo sobre este exame tão importante na área de diagnóstico por imagem.

Quer conhecer uma clínica de tradição em exames como o raio-x? Então, leia mais sobre a Clínica Scoppetta, um dos centros de diagnóstico por imagem mais respeitados na cidade de São Paulo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

× Podemos ajudar?