Doenças Respiratórias: saiba quais as principais e como evitá-las

criança e doutor segurando coração fazendo alusão ao atendimento humanizado
Para além do diagnóstico: a importância do atendimento humanizado em clínicas e hospitais
1 de julho de 2021
Agendamento digital: mãos de uma pessoa idosa segurando um celular smartphone
Agendamento digital: confira 6 benefícios de optar por essa prática
29 de julho de 2021

Doenças Respiratórias: saiba quais as principais e como evitá-las

doenças respiratórias: saiba quais as principais e como evitá-las

Mais comuns em tempos frios, as doenças respiratórias tendem a afetar o sistema respiratório e imunológico das pessoas. Com sintomas bastante parecidos, é comum ter dúvidas sobre qual seria a enfermidade.

Bronquite, sinusite e pneumonia são algumas das diferentes doenças que afetam milhares de pessoas. Para entender quais são as principais doenças, suas causas e conhecer dicas de como evitá-las, continue lendo este artigo.

O que são doenças respiratórias?

Sendo uma doença que pode afetar pessoas de diferentes faixas etárias, ela está diretamente ligada ao estilo de vida e à qualidade do ar, e os sintomas podem ser sazonais. 

Já em casos mais graves, é possível que ela se torne uma doença crônica, o que significa que a pessoa fica mais propensa a ter crises relacionadas e tenha que fazer acompanhamento médico e uso de medicamentos ao longo do tempo.

Quais órgãos elas afetam?

Não há uma regra sobre quais órgãos são afetados, mas como o próprio nome sugere, o sistema respiratório é o mais atingido. Sendo assim, as partes do corpo que mais acometidas são:

  • boca;
  • nariz;
  • laringe;
  • faringe;
  • pulmão.

Quais as causas para essas doenças?

As causas podem ser as mais variadas possíveis, isso porque como são doenças relacionadas ao ar, cada pessoa pode desenvolver os sintomas por alguma situação específica.

No geral, os principais motivos que desencadeiam as doenças respiratórias, são: evoluções de gripes ou resfriados, contato com vírus, bactérias e/ou fungos, infecções, contato com fumaça, pelos de animais e fumar, por exemplo.

É importante ressaltar que em alguns casos, essas enfermidades são genéticas, ou seja, a pessoa já tem ela desde o primeiro momento da vida, como é o caso da asma. Em outros casos, são desenvolvidas ao decorrer do crescimento, sendo a primeira infância a fase mais propensa para se desenvolver novas doenças e alergias.

Como diagnosticar?

É normal que ao notar os primeiros sintomas, as pessoas adotem procedimentos caseiros, a fim de inibir o avanço da doença e, consequentemente, a necessidade de ir ao médico. Porém, é necessário entender a gravidade que isso pode acarretar.

É  importante prestar atenção em relação aos sintomas e sempre buscar por profissionais de saúde para tirar dúvidas e melhor acompanhamento. Os principais meios para se diagnosticar as doenças respiratórias, como tuberculose e pneumonia, são através de avaliação clínica e exames laboratoriais e de imagem.

Os exames de imagem mais comuns para um diagnóstico preciso. são:

  • Raio x;
  • Tomografia computadorizada;

Como ponto de atenção, é importantíssimo buscar por centros médicos que contém tecnologia de alto padrão, a fim de garantir a qualidade e veracidade do resultado dos exames. Assim, é possível adotar o tratamento mais adequado.

6 doenças respiratórias mais comuns

Como dito anteriormente, há uma semelhança entre as doenças respiratórias, como todas elas afetam o mesmo sistema e os mesmos órgãos, é normal que os sintomas sejam parecidos ou até idênticos.

A seguir, listamos as principais doenças do sistema respiratório e suas principais características. Acompanhe!

Asma

É uma doença que acomete na maioria dos casos em crianças, por isso é essencial estar atento aos principais sintomas, isso garantirá o tratamento precoce. Apesar de ainda não haver cura, há tratamentos acessíveis que impedem crises contínuas e corriqueiras.

O sintoma mais comum e perceptível da asma é a falta de ar constante após atividades comuns, como correr ou subir escadas, por exemplo. Em casos mais avançados, podem surgir chiados e pressão na região peitoral. Tanto o chiado quanto a pressão são mais comuns no início do dia ou na hora de dormir.

Bronquite

O principal efeito dessa doença é a dificuldade para respirar, isso acontece porque com a inflamação dos brônquios as vias aéreas sofrem um estreitamento. As crianças e os idosos são mais suscetíveis a desenvolver bronquite.

Os principais sintomas são: dificuldade para respirar, tosse e secreção pulmonar.

Sinusite

A sinusite pode surgir em decorrência de uma infecção anterior ou uma alergia que já está a algum tempo instalada no organismo. A principal área atingida, é a cavidade óssea nasal, afetando assim as maçãs do rosto, olhos e testa.

Dores como a de garganta e cabeça, perda de olfato e irritação ocular, podem ser alguns sintomas de que uma crise de sinusite está iniciando. Caso o estágio dela já esteja avançado, é comum fortes dores na face e irritação nasal.

Pneumonia

Podendo ser causada por vírus, bactérias ou fungos, a pneumonia é uma doença infecciosa, que caso não seja diagnosticada e tratada da forma correta, pode trazer maiores complicações. Seu principal malefício é o comprometimento do pulmão e seus alvéolos.

Os principais sintomas associados a elas, são, na maioria das vezes, febre e tosse intensa, dores fortes na região peitoral e alta dificuldade para respirar. É importante ressaltar que, apesar de se tratar de uma doença grave e respiratória, a pneumonia não é transmissível.

Tuberculose

Trata-se de uma doença contagiosa ainda bastante prevalente em nosso país. Essa doença comumente afeta os pulmões, mas em casos avançados, pode atingir outros órgãos do corpo humano como os ossos e os rins.

A contaminação pode ocorrer através de tosses, espirros e contato com pessoas doentes. Entre os principais sintomas, é possível citar a febre constante, nem sempre alta, sudorese e os dois mais característicos e preocupantes que são a presença de sangue no catarro e a tosse intensa e contínua.

Doença pulmonar obstrutiva crônica

A DPOC — doença pulmonar obstrutiva crônica — pode se apresentar como enfisema pulmonar e/ou bronquite crônica, e acomete os pulmões em diferentes graus de severidade. Essa doença é mais comum em pessoas que já tiveram outros problemas respiratórios, como a tuberculose, por exemplo.

A tosse intensa e seca é um dos principais sintomas, além dela podem surgir infecções constantes em diversos órgãos, cansaço excessivo e a falta de ar. Alguns achados em exames de imagem (raio-x e tomografia computadorizada) são bastante característicos e podem ajudar no diagnóstico.

Conte sempre com a medicina

É importante que os exames de rotina estejam sempre em dia, assim, é possível diagnosticar e tratar corretamente as doenças respiratórias. É sempre bom lembrar que os autocuidados são extremamente importantes, porém não devem substituir o acompanhamento profissional.

Como citado nesse artigo, os exames de imagem são ótimos aliados para diagnósticos precisos. Leia nosso artigo Doenças pulmonares: quais são as mais comuns e como os exames de imagem podem ajudar? e entenda como essa prática é valiosa para o cuidado dessas doenças. Boa leitura!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.